22 de janeiro de 2008

O Gigante de Ferro

Este filme deve configurar em toda lista que se preze dos mais injustiçados de todos os tempos. A brilhante animação que Brad Bird (Os Incríveis)fez para a Warner enfrentou inúmeros problemas de distribuição quando lançado nos cinemas, e consecutivamente foi parar direto nas locadoras do Brasil, em pouquíssimas cópias VHS. Uma pena! Consagra-se com a passagem do tempo em clássico, um dos maiores êxitos artísticos da animação produzida nos EUA. Deixa qualquer sentimentalismo barato da Disney no chinelo, diga-se de passagem. Aliás, não há bichinhos fofinhos, nem cantorias desnecessárias para ser indicado ao Oscar. Certa vez o diretor disse em entrevista que se irrita quando colocam seus filmes na categoria “animação”, porque esta seria a técnica empregada, não um gênero em si. O Gigante de Ferro é uma história interessante, que por acaso é contada através de desenho animado. Numa bela tarde, menino solitário e caçador de aventuras encontra um robô gigante vindo do espaço sideral. Partirá desta simplicidade recheada de referências ao mundo pop algumas impressões nada maniqueístas sobre a natureza original de cada um. Em cores pastel e traço retrô, de acordo com a época retratada (50’s), temos aqui a melhor representação fora de seu tempo à paranóica guerra fria. Inteligente o suficiente para ir além do que seria previsível, o apelo antibélico, ecoando até seu surpreendente final pouco feliz (!?) a esperança na amizade pura entre desiguais. Para se aplaudir de pé!

O Gigante de Ferro – The Iron Giant
- EUA 1999 De Brad Bird 87’ Drama/Aventura/Animação


DVD - Não temos a comentada edição de luxo lançada lá fora, mas ainda um DVD digno de nota. Primeiro porque resgata as vozes originais (no VHS só havia a versão em português) de gente como Jennifer Aniston e um Van Diesel em começo de carreira. Depois porque nos primórdios da Internet, um dos sites mais legais era justo o deste filme. Ao colocar o DVD no drive do PC, surpresa! Ele está inteirinho lá! Até com um joguinho em flash, papel de parede, pôsteres, páginas em html e mais um monte de coisa. Ao contrário das faixas para DVD Rom atuais da Warner que trazem quase sempre apenas aquele péssimo player que se instala automaticamente. Detalhe, na capinha os únicos extras descritos são um making of (sem legendas em português) e videoclipe.

Cotação:

6 comentários:

  1. Opa sou Everton, de curitiba .. tudo bem?? lendo teu texto.. queria perguntar... nunca ouviu algum comentario ao algo parecido sobre continuação??? (evertonbutarelli@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  2. Everton, oi! Nunca!
    Porque comercialmente foi desastroso. A Warner não tinha hábito de distribuir desenhos, e acabou não botando fé.

    ResponderExcluir
  3. Sou um tremendo de um marmanjo e confesso... Amei este desenho!!! É interessante que o desenho preserva o cotidiano saudável de progresso e educação e o lado infantil e fantasioso que toda criança tem no seu mundinho gostoso de céu ao contrário da Disney e etc com suas mensagens subliminares maléficamente instaladas que influenciam nossas crianças a proceder em detrimento aos bons costumes!!! AGUARDO ANSIOSAMENTE NÃO PELO Nº 2 E SIM PELO SERIADO!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Campanha, não sabia deste seriado. Eu torço para que Brad Bird continue sendo um homem iluminadamente genial!

    ResponderExcluir
  5. Um dia, rodei este filme em casa....os adultos foram logo dizendo...-nossa! desenho brega!!!!...a criancada logo estava com os olhos colados na tela.....qual nao foi minha surpresa...."os marmanjos" todos com os olhos fixos na tela...nem piscavam!!!
    muito bom filme....gostaria de ver uma continuacao mesmo pq o fim deste filme deixou isto no ar. gostei bastante!!!

    ResponderExcluir