25 de junho de 2008

A Fúria do Poderoso Chefão

Malandro é gato que já nasce de bigode... Ou que segue esses filmes blaxploitation quase como um manual de sobrevivência na selva. Ali não há lugar para mocinhos contra bandidos. Há os menos bandidos contra os bandidos e ponto! Se há uma ceninha de sexo com a moçoila de peito desnudo nos braços do menos bandido, na sala rolando um disco de soul, pode apostar que ela será seqüestrada pelo malvado logo depois. Essas produções sui generis fizeram a alegria de gerações passadas, quando o negro se viu finalmente em papel de protagonista na tela grande. Quase sempre de qualidade técnica muito pobre (com raras exceções), alimentaram as programações dos chamados cinemas grindhouse do subúrbio norte americano. A Fúria do Poderoso chefão é exatamente isso, repleto de gírias, luta de rua, e mulheres quando muito sendo chamadas por piranha, vagabunda, etc. J.J. é um ladrãozinho pé de chinelo que ao sobreviver a assalto mal sucedido tem, sabe-se lá como, seu talento reconhecido pelo chefão máximo do crime em seu bairro. Daí, assim, na lábia, se fortalece a ponto de abrir verdadeira guerra contra um traficante (branco!) de heroína. Ele vende maconha, o branco arrogantíssimo vicia crianças com heroína e merece morrer! Tudo com fotografia acidental, cílios postiços, calças bocas de sino e o memorável Black Power. Quando um chama o outro de “Nigro!” pode esperar que lá vem porrada. É involuntariamente engraçado, embora necessite de boa vontade para se assistir até o fim tamanho os solavancos que vão acontecendo no roteiro sem maiores explicações. Preste atenção nas vezes em que a sombra da câmera aparece, e o estalo do “herói” quando decide contar com as empregadas domésticas para espionar os patrões branquelos.

Um A Fúria do Poderoso Chefão – The Black Godfather

- EUA 1974 De John Evans Com Rod Perry, Damu King, Don Chastain, Jimmy Witherspoon, Diane Sommerfield, Duncan McLeod, Tony Burton 94’ Ação/Blaxploitation


DVD - Dizem que essa líder já até dançou, o que não entendo porque nos créditos minúsculos da contracapa está escrito ser London – WorksDVD. E pra variar (erh...) nem um pio sobre os detentores dos direitos originais. A sinopse da embalagem ainda o aponta como um dos clássicos da Blaxploitation, lado a lado de Blackula e Shaft, o que obviamente não é verdade, e ainda o chama de “O Poderoso Dragão Negro”. O produto interno chega a ser constrangedor. A imagem está muito ruim, escura e desbotada, o que no caso até dá charme, inclusive na cena de sexo, quando fica mais granulada dando a impressão de que vai ser cortada. Os menus parecem ter sido feitos no Paint Brush, há erros grosseiros aos montes na legenda. Alguns de digitação, outros (Juiz com “esse”!) deslizes gramaticais mesmo. Arriscaram uma faixa de áudio em português, daquelas dublagens de fundo de quintal que simplesmente apagam o fundo musical, que, aliás, é uma das graças desse gênero. Resta uma dúvida que me consome há anos. Porque estas distribuidoras pequenas fazem sempre uma economia danada na hora de dividir os capítulos? No máximo 5 ou 6.

Cotação:

5 comentários:

  1. Oi Miguel, seus blogs cada vez melhores... Voce poderia fazer-me um favor? Eu publiquei uma postagem sobre um filme ingles (so long at the fair) . Voce por acaso saberia o nome deste em portugues??? Obrigado!
    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Opa! Obrigado! É do Terence Fisher? A Grande Feira? Parece que sim!

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia este filme, mas por seu roteiro, deve ser uma ótima comédia involuntária hehehehehe
    E pegou o nome do filme do Coppola de carona, mas parece que não fez muito sucesso não hehehehe

    ResponderExcluir
  5. É ótimo de tão ruim! Pode apostar!!!

    ResponderExcluir