13 de fevereiro de 2006

O Guia do Mochileiro das Galáxias

É a história da minha vida: provar que não sou tão inteligente quanto pareço ou estúpido como muitos querem acreditar. E esta adaptação do livro cult de Douglas Adams veio para me deixar em dúvida também. É muita, muita, muita (MESMO!) informação em 109 minutos, o que o deixa parecendo possuir 218 minutos, acabando por diluir boa parte das boas idéias. Talvez o grande erro seja a fidelidade extrema ao livro, tão alardeada pela imprensa especializada à época de seu lançamento. Não há tempo suficiente para se digerir tudo o que passa na tela. A trama vai ficando com sérios lapsos de continuidade em nossa cabeça dando uma espécie de irritabilidade a partir da metade. Como comédia falta nos fazer rir, ou se nos faz, faz muito pouco, como ficção científica não apresenta quase nada de novo e como ousado filme existencialista peca pelo ritmo. Não dá pra comparar ao livro, já que nunca o li, mas com suas boas intenções parece um bom aperitivo a ele, mas você sabe o que está cheio das mesmas...

O Guia do Mochileiro das Galáxias – The Hitchhiker’s Guide To The Galaxy
- EUA/Inglaterra 2005 De Garth Jennings com Martin Freeman, Bill Nighy, Sam Rockwell 109’ Comédia


DVD - Assustadoramente divertido e competente em apenas um disco. Os menus confusos de design retrô casam perfeitamente com o estilo do longa em si. Nos deparamos com dezenas de coisinhas curiosas e bacanas, o que dá para se entreter mesmo depois do flop, mas não o suficiente para se comprar o DVD.

Cotação:

5 comentários:

  1. Bem,eu não vi o filme mas li o livro.
    É uma mistura de,deixa eu ver....John Fante com Futurama.

    ResponderExcluir
  2. Não li o livro e nem assisti ao filme, apesar de ser fã de ficção científica. O trailer me deixou a impressão de que a fita seria tediosamente confusa. Sua resenha parece confirmar esta minha desconfiança. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Convido o autor deste blog para uma visita a

    http://blogblogblogcinema.blogspot.com/
    Participa.
    Bons filmes e bons blogues.

    ResponderExcluir
  4. Vi o filme e posteriormente li o livro. O que vc chamou de lapsos de continuidade é facilmente explicado pelo fato de haver 5 livros resumidos em um só filme. O livro é fantástico com sacadas sutis e espetaculares, alguns detalhes citados no primeiro livro só são complementados no quinto livro. Talvez por isso o filme tenha ficado tão intediante, tão sem sentido e se afastando do brilho cômico e inteligente dos livros!

    ResponderExcluir
  5. Free-I_Dixon, provavelmente! Obrigado pelo comentário explicando.

    ResponderExcluir